A proposta da nova contribuição social e o livro

Ep 15 Levi Linked In 1 (2)

Provocado pela proposta do governo federal de criação da CBS e o consequente fim da alíquota zero para o livro, o mercado editorial se mobiliza e o #defendaolivro vira discussão nacional. Mas o que é realmente esse tributo?

São Paulo, 26 de agosto de 2020 – No início de agosto, o governo federal apresentou a sua principal proposta para a Reforma Tributária até agora, a Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS). Entre seus vários aspectos, um atinge diretamente o mercado editorial. A CBS prevê o fim das isenções de PIS e Cofins para vários produtos, entre eles o livro, o que pode provocar um aumento de 20% no preço do livro para o consumidor final. Entidades e livreiros se mobilizaram, subiram a hashtag #defendaolivro, expandindo a discussão por todo o país.

Para debater o assunto e, principalmente, entender o que é a CBS e seus impactos na seara editorial, os âncoras do podcast Ondas Impressas, a jornalista Tânia Galluzzi e o consultor Hamilton Costa entrevistam o tributarista Roberto Duque Estrada; o presidente da CBL, Vitor Tavares; o presidente da Abigraf Nacional, Levi Ceregato; e o cientista político Leandro Consentino. “A indústria gráfica vê com preocupação [a CBS] porque 95% de todo o parque gráfico é formado por micro, pequenas e algumas médias empresas, cujo regime tributário é o Simples. E ainda não temos com clareza como ficarão as alíquotas do Simples para compensar a elevação, tanto na entrada quanto na saída. Isso pode sim impactar os custos e, consequentemente, na elevação de preço dos impressos”, afirma Levi Ceregato.

O novo episódio, o 15º, já está disponível nas principais plataformas de podcast: Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts, Deezer e Overcast.

Ou então no site: ondasimpressas.buzzsprout.com

Ondas Impressas


ondasimpressaspodcast@gmail.com


Instagram @ondasimpressas
LinkedIn Ondas Impressas