Impacto da COVID-19 na Indústria Gráfica Sul-Mato-Grossense

Abigraf Ms Prancheta 1 Cópia 4

Julião Flaves Gaúna, presidente da ABIGRAF – MS e do Conselho Diretivo da ABIGRAF Nacional.

1) Quais os reflexos da pandemia na Indústria Gráfica de seu estado? Qual o percentual de queda na produção / faturamento?


Julião Flaves Gaúna: Reflexos negativos, com redução de 82% na produção e faturamento.

2) Quais os segmentos mais prejudicados pela queda na atividade econômica em seu estado?


Julião Flaves Gaúna: Todos os segmentos foram prejudicados.

3) Como a ABIGRAF local tem auxiliado os empresários durante a pandemia?


Julião Flaves Gaúna: Através de informações via e-mail, orientando a acompanhando as lives apresentadas pela ABIGRAF Nacional, para ajudar os associados a melhorar o desempenho nas áreas administrativa e comercial.

4) Quais os principais desafios da Indústria Gráfica local nesse momento?


Julião Flaves Gaúna: Buscar novos modelos de negócio e compreender de maneira rápida e eficiente como vai ficar o mercado no pós-pandemia.

5) Quais perspectivas de retomada dos negócios em seu estado? É possível prever quando o faturamento das empresas locais voltará aos mesmos patamares pré-pandemia?


Julião Flaves Gaúna: Não há condições de prever dados sobre a retomada.

6) Qual a avaliação que o senhor faz da atuação do governo no auxílio às empresas durante a pandemia? Quais são os prós e contras do governo desde março?


Julião Flaves Gaúna: As ferramentas disponibilizadas pelo Governo Federal não foram suficientes para suprir as necessidades das micro e pequenas empresas de nosso estado, que em sua grande maioria ficaram sem recursos para fluxo de caixa e folha de pagamento.

Notícias Semelhantes