Laboratório de Tinta e Papel promoverá soluções tecnológicas para o setor gráfico fluminense

O Laboratório de Tinta e Papel, espaço inaugurado em julho com moderno maquinário no SENAI Maracanã, na zona Norte do Rio, foi desenvolvido para atender às necessidades de ensaios em tintas e papéis necessários à indústria fluminense. O local, os alunos realizam, na prática, a identificação e análise desses itens, além da detecção de causas de possíveis problemas em materiais impressos.

“Quando assumimos o setor gráfico, em 2002, o estado do Rio era o quarto no âmbito nacional. Foi uma luta muito grande, com apoio do Sistema FIRJAN, para transformar essa escola em uma referência. Agora o Rio ganhou papel de destaque, alcançando o segundo lugar como maior contratante do país, atrás apenas de São Paulo”, destacou Carlos Di Giorgio, presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas do Município do Rio de Janeiro (Sigraf).

Segundo estudo recente da Federação, são mais de 1.700 estabelecimentos nos segmentos gráfico e editorial em todo o estado, empregando quase 18 mil trabalhadores, o que corresponde a um em cada dez empregos formais.

Para Di Giorgio, é imprescindível estar em contato com o que há de mais moderno em termos de maquinário e técnicas de trabalho: “Este laboratório, de ponta, responde diretamente ao desafio de manter a nossa mão de obra atualizada e aliada às novas tendências, bem como de preparar futuros gráficos para a função”.

Elisa Vitoretti, responsável pela gestão de pessoas da Edigráfica, ressalta o papel da formação profissional de qualidade para as empresas: “A partir do momento em que você aprimora o trabalhador e lhe oferece capacitação, ele se sente valorizado. Isso melhora o clima organizacional, além de aumentar a produtividade”.

O SENAI também ampliou sua oferta de qualificação setorial com o curso técnico em Processos Gráficos. Nele, os alunos podem desenvolver na prática competências relacionadas à identificação e à análise das características das tintas e dos papéis, assim como realizar comparativos para detecção de não conformidades nesses insumos.

Vice-presidente do Sistema FIRJAN, Sérgio Duarte destacou que, mesmo com um cenário econômico muito adverso e menos recursos disponíveis, o SENAI não congelou os seus investimentos. “Investir na entrega do Laboratório de Tinta e Papel, referência e único no Rio, é apostar nos empresários fluminenses e nos seus trabalhadores. É dar a eles mais ferramentas para que se qualifiquem e inovem, gerando mais empregos, riqueza e renda para o estado”, avaliou.

SAIBA MAIS SOBRE O SETOR

O SENAI Rio oferece diversos cursos para o segmento gráfico: cursos de Editor de Projeto Visual Gráfico; Desenho e Técnicas de Ilustração; Fotografia Digital e Tratamento de Fotos; Gerenciamento da Cor; Illustrator; Orçamento Gráfico; Pintura Digital com Tablet e Photoshop; Produção Gráfica; Projeto Gráfico de Embalagem; Web Design Responsivo; e Técnico em Comunicação Visual.

A evolução do segmento de Gráfica vem se caracterizando, nos últimos anos, pela adoção de tecnologias digitais. Os sistemas tradicionais de impressão passaram por inúmeras transformações, marcadas pela incorporação de tecnologias baseadas na informática, que propiciam às modernas impressoras uma velocidade de produção incomparavelmente maior do que as atingidas pela tecnologia usada anteriormente.

Por outro lado, o uso doméstico de recursos de informática (microcomputadores, impressoras de alta resolução, scanners, internet etc.) permitiu aos consumidores a adoção de soluções gráficas personalizadas, reduzindo significativamente o mercado para as pequenas empresas, que faziam serviços de impressão de cartões de visitas, folhetos, entre outros.

Essas mudanças levaram algumas destas empresas à extinção e outras à diversificação de seus produtos e serviços, com base no uso de múltiplas plataformas que garantam a sua sobrevivência no mercado gráfico, que se tornou extremamente competitivo.

Neste novo contexto, é de fundamental importância para a sobrevivência das empresas deste segmento os investimentos em novas tecnologias de produção, o que demanda profissionais cada vez mais qualificados para atender a este universo tecnológico.

Os profissionais devem estar preparados para usar os diversos recursos de informática, aplicados em maior ou menor intensidade nas etapas do processo gráfico (pré-impressão, impressão e pós-impressão), além de ter capacidade para transitar por diversos tipos de mídias, além da tradicional.

Se o profissional optar por trabalhar na etapa de pré-impressão, vai atuar na concepção e materialização de projetos, com programação visual, tratamento de imagens, design gráfico, dentre outras. Na etapa de impressão, o profissional aponta soluções gráficas para a reprodução; e na pós-impressão, são tratadas as etapas de acabamento dos produtos impressos: cortes, vincos, dobras, encadernação etc. Há uma convergência cada vez maior entre todas as etapas, fazendo com que os profissionais desenvolvam uma visão mais abrangente do processo.

Notícias Semelhantes