15 de abril de 2024 Inteligência de mercado

Cristhine Samorini, Presidente da ABIGRAF-ES e da FINDES, destaca crescimento do setor industrial no estado na BandNews

 

Cristhine Samorini, Presidente da ABIGRAF Regional Espírito Santo e da FINDES (Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo), e diretora financeira da CNI (Confederação Nacional da Indústria), foi entrevistada no último dia 10 de abril (quarta-feira) pelo Canal BandNews, em São Paulo.

O foco do bate-papo foi o crescimento da atividade industrial capixaba, o 2º maior índice no país, e o potencial de expansão do setor no estado. “Temos um estado com forte potencial de crescimento e acreditamos no setor industrial”, disse ela. “Quando o setor industrial cresce, o motor do desenvolvimento vem junto. É isso que temos mostrado ao país.”

Segundo Cristhine, o Espírito Santo possui forte vocação industrial para exportação, e, também, para abastecimento do mercado interno. “Tradicionalmente, o estado tem uma indústria de extração e, mais recentemente, a indústria de transformação”, salientou, com especial atenção ao petróleo e gás.

Também mereceu destaque na fala de Cristhine a exportação de café e café solúvel (ou seja, o produto já industrializado e com valor agregado). “Acreditamos muito em agregar valor e mudar a visão de que o Brasil só exporta commodities”, ressaltou.

Outro ponto importante frisado na entrevista foi o aumento da geração de emprego, que acompanha o crescimento industrial. “Nosso estado tem se concentrado no desenvolvimento industrial e esperamos que essa tendência também se projete para o Brasil como um todo, inclusive na geração de empregos”, disse.

A capacitação é outra força-motriz para formação e qualificação de mão de obra no estado por meio de parcerias com o SENAI ou oportunidade para, por exemplo, mulheres em grupos de vulnerabilidade. “No ano passado, colocamos 50 mil vagas para formação profissional; neste ano, estão previstas 60 mil.”

Atualmente, a indústria representa 38.3% de participação no montante da economia capixaba – e, até 2028, mais de R$ 50 bilhões estão previstos em investimento em cerca de 300 projetos. Especificamente para a indústria de impressão, Cristhine citou como destaque a Suzano, que vem investindo no estado com produção fabril, isto é, enfatizando não apenas a exportação de celulose, mas na fabricação nacional de papel.

“A cada um Real que o setor industrial coloca na economia, reverte-se em R$ 2,45 de retorno para a própria economia. Tudo o que a indústria faz puxa várias cadeias importantes”, reforça.

 

 

Noticias Relacionadas

24 de maio de 2024 Mercado Gráfico

ABIGRAF e Livros para Todos promovem campanha de arrecadação de livros para o Rio Grande do Sul

    A ABIGRAF (Associação Brasileira da Indústria Gráfica) e o projeto Livros para Todos (portal online para estudo, pesquisa, divulgação e promoção do livro e do hábito da leitura) estão realizando uma campanha de arrecadação de livros para o […]

Leia mais
20 de maio de 2024 Mercado Gráfico

AccurioLabel 400 será o grande destaque da Konica Minolta na Flexo & Labels Expo 2024

  De 25 a 28 de junho, a Konica Minolta participará da Flexo & Labels Expo 2024, evento focado no segmento de flexografia, rótulos e etiquetas autoadesivas que acontecerá no Distrito Anhembi, em São Paulo. E, para os quatro dias […]

Leia mais
10 de maio de 2024 Sem categoria

Fedrigoni divulga seu balanço de desempenho para 2023

O Grupo Fedrigoni – entre as maiores empresas do mundo no setor dos rótulos e dos materiais autoadesivos de qualidade superior, dos papéis especiais, das embalagens de luxo e outras soluções criativas, de RFID e outras soluções relacionadas – encerrou […]

Leia mais